Categoria: Trilharte

Adventure Sports Fair 2018

Escrito por:Gabriel Vianna/ 25 0
Compartilhe:

Um dos eventos mais bacanas de aventura na cidade está de volta para a 19ª edição em 2018 neste fim de semana do dia 19 a 21 de outubro e reúne marcas, destinos, agências e aventureiros de toda a América Latina no São Paulo Expo no km 1,5 da Rodovia dos Imigrantes. Desde 1999 vem atraindo cada vez mais adeptos de fãs de atividades com uma boa dose de adrenalina e para aqueles que querem conhecer mais e iniciar nesse território de muita emoção.

 

 

Como funciona a feira?

Produtos: Os consumidores têm a chance de conhecer e testar os lançamentos de produtos, equipamentos, vestuário, calçados e acessórios para os esportes de aventura.

Destinos: Neste setor, o visitante tem acesso à itinerários tradicionais e exclusivos, com destino para viagens de aventura e ecoturismo. A exposição conta com a participação de vários estados brasileiros e dos principais roteiros internacionais.

Atrações: O ponto forte do evento é permitir a primeira experiência para os novatos e a maior interatividade do público com os esportes de aventura. Os visitantes podem vivenciar diferentes modalidades, como: snowboard, esqui, mergulho, arvorismo, escalada, caiaque, stand-up paddle, skate, slackline e highline, ciclismo e ainda realizar test drives com veículos off road (carros e motos).

Conteúdo: Palestras e oficinas para quem busca especialização ou quer aprender algo a mais sobre viagens, expedições, destinos, modalidades esportivas e tudo o que se refere ao mundo da aventura.

O que vou aproveitar?

 

Arvorismo
Você gosta de adrenalina? Então teste o seu equilíbrio e experimente o circuito de arvorismo que a Adventure preparou para você. Só não vale ter medo de altura!

 

Parede de Escalada
Você é daqueles que tem concentração, paciência, equilíbrio e resistência? Então venha se aventurar na nossa parede de escalada. Com o suporte dos condutores treinados, você poderá superar seus limites e chegar ao topo da parede de 7,5m altura!

 

Pista de Snowboard & Ski
Já pensou em esquiar no Brasil, em São Paulo? Se você deseja ter o primeiro contato com o esporte ou aperfeiçoar movimentos já praticados, este é o lugar ideal! Aqui você escolhe descer como quiser pelos 35m da pista! De pé ou sentado, sozinho ou acompanhado. Mas claro, sempre com a orientação dos nossos profissionais! 

 

Tanque de Mergulho
Uma das atrações preferidas do nosso público é o tanque de mergulho! Com 32 mil litros de água aquecida e tratada com ozônio, você poderá ter a sua experiência com cilindro debaixo d’água. Se você não tem certeza como utilizar esse equipamento, não se preocupe. Os nossos instrutores vão mostrar alguns vídeos e te dar toda a explicação que você precisa. A atividade dura em torno de 15 a 20 minutos e não é necessário trazer toalha ou troca de roupa.*

*Esta atração poderá ser praticada por crianças acima de 8 anos. Respeitando as normas de segurança, os pequenos de 8 a 10 anos poderão participar, mas com um responsável e apenas na superfície.

 

Piscina de Remada (stand-up paddle e caiaque)
Os esportes aquáticos também terão presença na 18ª Adventure Sports Fair. Você poderá testar o seu equilíbrio e agilidade ao experimentar as experiências com caiaque e stand-up paddle em nosso tanque de 90m³, com destaque para a disponibilidade de uma prancha transparente da CR Acrílicos, que reproduz a sensação de ver o fundo do mar durante a atividade.*

*Cuidado para não se molhar! Para esta atividade, a ASF disponibiliza toalhas para quem precisar.

Simulador de Surf!
Atração indoor, inédita em feiras, fará a alegria de surfistas, skatistas, wakeboarders e snowboarders. Este ano, além das tradicionais atrações, a Adventure contará com uma super novidade: o simulador de onda em lâmina d’água, um equipamento que permite o surf indoor. Trata-se de um equipamento que movimenta a água em sentido contrário ao esportista a até 36km por hora e permite a sensação de estar surfando em uma onda de verdade! Wakers, skatistas e snowboarders vão adorar. Para quem nunca tentou a atividade, vale a pena se aventurar!

Lembre-se de trazer uma troca de roupa e vir de bermuda e camiseta!

 

Queda Livre
Esse ano tem muita emoção! Quer curtir aquela sensação de frio na barriga? Então aproveite a nossa atração de queda livre operada com o equipamento quickJump, a nova opção da feira que proporciona uma sensação real de queda livre, seguida de desaceleração e aterrissagem controlada.

 

IMPORTANTE: As atrações são gratuitas mediante a compra do ingresso.

 

Dia 19/10 – 12h às 20h / Dias 20 e 21/10 – 10h às 20h

19 a 21 de Outubro

São Paulo Expo – Pavilhão 05 (área interna e externa)

Rod. dos Imigrantes, KM 1,5

São Paulo / São Paulo

 

Ingressos: http://adventurefair.com.br/

A profundidade da experiência: a Caverna e o Ser

Escrito por:Gabriel Vianna/ 85 0
Compartilhe:

Percebemos o mundo e notamos que pertencemos à sua superfície fora d’água, a parte que nos cabe da esfera, assim como formamos civilizações que se espalharam pela Terra, existem muitas espécies convivendo bem longe de nossa vista. Nossa atenção voltada somente

Compartilhe:

Percebemos o mundo e notamos que pertencemos à sua superfície fora d’água, a parte que nos cabe da esfera, assim como formamos civilizações que se espalharam pela Terra, existem muitas espécies convivendo bem longe de nossa vista. Nossa atenção voltada somente para a casca nos limita, e percebo que quanto mais direcionamos a nossa atenção somente para nosso flanco, limitamos nossa perspectiva da vida, nos afastamos de nossa natureza mais primal, de necessidades básicas para qualquer ser humano: sentir o sol na pele, olhar para o céu, sentir o cheiro das coisas, “dar um tempo” no seu dia e só observar. É curioso que, prestando a atenção só no que está a nosso redor e em nossas sagradas tarefas, não nos transformamos em pessoas concentradas, mas em uma sociedade alienada, ou seja, ignoramos o que não faz parte de uma rotina e de respostas previsíveis, e nos prendemos a só um modelo de possibilidade de viver. Assim,  fica mais fácil estranhar, questionar antes de experimentar. Volta e meia alguém me pergunta: O que você vai fazer no “mato”?! Da mesma forma o que me vem na cabeça: Da onde você tira sua energia produtiva, da artificialidade e da poluição de uma cidade? Duas sentenças para dois pontos de vista.  Assim a médio prazo as sensações deixam de se estabelecer, não nos comovemos mais, perdemos a sensibilidade prática de experienciar as sensações do tato, paladar, audição e muito da visão,  a nossa curiosidade não deve ser extinguida pela nossa rotina, experimentar estar no lugar de onde viemos  é um presente que nos faz sentir o poder e energia  da natureza.

 

 

 

 

Tentando ver o mundo em nova perspectiva, quis me aprofundar na Terra para descobrir novos mundos dentro do nosso mundo, através das cavernas. Pouco se fala em cavernas em um país riquíssimo nessas formações, e o estado de São Paulo possui um grande número delas em áreas protegidas como o PETAR (Parque Estadual  Turístico do Alto Ribeira), Intervales e outros diversos. A vez foi da Caverna do Diabo no município de Eldorado no sul do estado de São Paulo.  O ar é outro, a umidade da floresta densa do entorno faz o calor do lado de fora ser mais forte, e assim que se entra,  aquele calor que quer nos abraçar se transforma em frescor, e o som das águas do ribeirão das ostras que passa por seu interior ajudam a encontrar uma sensação de tranquilidade.

 

 

 

 

A Terra se comporta de forma enigmática fora de nossa jurisdição, a caverna se forma quando água ácida penetra no solo, entra em contato com rochas calcárias e as dissolve, formando “ocos” no relevo, já de cara, uma perspectiva dos grandes salões da caverna mostram  porque a Caverna do Diabo é a maior do estado.

 

 

 

O teto e o chão tentam se tocar e, em alguns pontos formam colunas, são as estalactites, aquelas formações do teto que descem pelos sedimentos e umidade, e as estalagmites, aquelas formações do chão desenvolvidas pelos pingos de água e sedimentos que caem das estalactites, a espeleologia é a ciência que estuda essas formações chamadas de espeleotemas, existe um grande número de diferentes tipos de espeleotemas pelo comportamento da Terra ao longo dos anos.

 A Caverna do Diabo possui  8km de extensão, mas somente 10% dessa área é livre para exploração de pessoal não capacitado a enfrentar desde passagens estreitas a vários animais nativos das reentrâncias, fora a falta de luz nessa área. A parte restaurada para o publico em geral é iluminada e evidencia todas sua cores e magnitude de forma acessível. O incrível é estar em um lugar cuja formação de fato se deu há milhões de anos, gota a gota, através das eras. E nós, donos da nossa pequena parcela de tempo, temos o privilégio de conhecer essa maravilha, podendo assim, nos ligar com nossa natureza mais ancestral.

 

 

Organizando a mochila para trilhar

Escrito por:arterra-reservas/ 70 0
Compartilhe:

Quem nunca saiu de casa com a sensação de que estava esquecendo alguma coisa?

E não é  ainda pior quando ela se confirma? E se ela se confirma quando você está no meio de uma trilha, perto dos sons e cheiros da natureza, mas longe de toda a civilização?  Aí o jeito mesmo é tentar dar aquele jeitinho, mas não é fácil, pois dependemos de pequenos detalhes que podem nos ajudar muito em meio à floresta.

Compartilhe:

Quem nunca saiu de casa com a sensação de que Homerestava esquecendo alguma coisa?

E não é  ainda pior quando ela se confirma? E se ela se confirma quando você está no meio de uma trilha, perto dos sons e cheiros da natureza, mas longe de toda a civilização?  Aí o jeito mesmo é tentar dar aquele jeitinho, mas não é fácil, pois dependemos de pequenos detalhes que podem nos ajudar muito em meio à floresta.

Estes momentos de desespero podem ser evitados se fizermos sempre um check-list de tudo que precisamos levar (é bacana manter uma planilha simples no computador que você possa verificar sempre antes de partir para a próxima aventura).

Estamos aqui para te dar uma pequena luz sobre itens indispensáveis:

        Escolhendo a mochila ideal     

Cada viagem que fizer vai ter um modelo de mochila diferente para ser sua “guarda costas”; não subestime este item imprescindível, pois ele vai determinar o quão cansado você vai ficar, a distribuição de peso, e evita carregar coisas nas mãos, facilitando muito sua vida para manter passadas mais regulares e precisas. A sua mochila, fiel companheira, além de não te fazer desequilibrar pelo peso, deve estar ergonomicamente presa ao seu corpo.

Mochilas variam entre 25 e 90 litros e a escolha será feita de acordo com dois fatores essenciais: a quantidade de dias de viagem e as condições climáticas. É inevitável que, se for em uma caminhada longa, na qual precisará de barraca, mais comida e levar roupas mais pesadas devido ao inverno, terá que levar uma super mochila para te auxiliar, entre 65 e 90 litros, mas para um dia somente, uma entre 25 e 40 litros vai resolver o problema.

Mochilas
Dica: Procure marcas reconhecidas no mercado, pois durabilidade e conforto nas costas são essenciais.

 

             Recheando a mochila

Neste tópico, sempre siga as orientações do grupo de viagens que está seguindo. Lembramos que não é recomendado praticar trekking ou hiking sozinho em hipótese alguma; existem perigos que se estiver sozinho podem ser potencializados, como uma lesão por queda simples ou o encontro com algum animal peçonhento, réptil ou mamíferos, como lobos e jaguatiricas, dependendo da região em que está se aventurando.

No mais, lembre sempre dos seguintes materiais:

 Comida, o essencial:

– Prefira frutas. Mas não exagere: para um dia, duas ou três frutas são suficientes. Não esqueça de lavá-las antes de colocar em um recipiente na mochila, secar também é importante, pois em dia de calor, as frutas molhadas em ambiente superior a 30º aceleram o amadurecimento, quase como um pré cozimento; leve sempre bananas no cacho, pois retirar do cacho antes permite a proliferação de fungos;

– Sanduíches. Com carnes leves, de preferência sem maionese e folhas ou ingredientes muito perecíveis;

– Barras de cereais;

– Isotônico;

– Entre 1l e 2l de água (verifique se é possível encher no caminho com seu instrutor, assim leva menos quantidade).

garrafas térmicas copy

Dicas:

– Use garrafas térmicas que mantém por mais tempo o frescor da água.

– Se estiver muito calor, deixe sua garrafa ou cantil no congelador até a hora de sair para manter o frescor por mais tempo.

– Cuidado! Por mais tentador que pareça, com o corpo muito quente, não tome água extremamente gelada.

 

                Roupas e acessórios.

Elas dependem do mato que está indo desbravar, mas estes são itens bem úteis em quase todos os casos:

– Camisetas dry fit. Feitas de um tecido leve e “aerado”, permite a transpiração através da roupa, auxiliando no resfriamento do corpo.

dry fit

 

– Calças de tactel. São leves e evitam que galhos arranhem suas pernas. (Agora, se confirmar com o instrutor que a trilha é bem aberta, vale até ir de bermuda para caminhada).

– Chapéus e viseiras. São interessantes para diminuir a temperatura da cabeça.

– Óculos escuros para caminhada. São óculos que permitem enxergar os obstáculos com qualidade e protegem do excesso de raios UV.

– Anorak. Uma jaqueta impermeável e corta vento. (Cai bem quando vai passar a noite ou voltar depois do sol, principalmente em montanhas e serras).

 

anorak

– Bota de trekking. Muito cuidado com aquele tênis que usa para correr no Ibirapuera, pode até ser que ele seja bom para absorver impactos, mas dificilmente vai te ajudar em trilhas, principalmente com muito barro, lama e terrenos alagados. O ideal é usar uma bota de trekking, ela não é tão flexível ou confortável como um tênis para corrida, mas ajuda muito na precisão da passada e evita que escorregue, pois possui sulcos mais profundos que te seguram.

Bota de trekking

 

Dica: Em terreno com lama, sempre que houver oportunidade, lave a bota e tire o excesso de barro, pois com os sulcos preenchidos de barro, a chance de escorregar volta a ser grande.

– Bastão de Caminhada. Consiste em um bastão que vai te ajudar a se equilibrar ou dividir o peso corretamente. Um item importante para suas costas e joelhos se tratando de subidas íngremes ou travessias longas em terreno muito acidentado.

bastao-de-caminhada

Cuidado para não apoiar o peso todo em cima do aparelho e acabar caindo para frente. Ele é um suporte de estabilização e ficar pondo demais o peso do seu corpo no aparelho vai te dar dores na coluna e vai acabar causando o efeito inverso.
Vai entrar na Cachoeira ou Mergulhar?
Não esqueça da roupa de banho, toalha e chinelos.

Se o local for propício para mergulhar, um snorkel é bem interessante para conhecer tudo lá embaixo.

                  Primeiros Socorros.

Imprevistos acontecem e é sempre bom ter por perto gaze, esparadrapo, uma solução desinfetante, sabão para lavar as mãos e feridas. Tente não usar água de rio para lavar feridas, essa água pode conter micro organismos que podem infeccionar o local. Caso não tenha estes itens, solicite ao seu instrutor.

Lembre-se sempre de levar seus remédios de uso cotidiano, principalmente se possui alguma cardiopatia ou alguma doença crônica, como bronquite, diabetes etc. E sempre avise seu instrutor antecipadamente nestes casos.

                  Protetor Solar

Tenho certeza que todos já ouviram o Pedro Bial falando da importância do Filtro Solar, mas é sempre bom reforçar – literalmente: não se esqueça de reaplicá-lo de tempos em tempos. Mesmo em dias nublados, ele é nosso fiel protetor.

                   Repelente

As picadas não são só incômodas, devemos lembrar que cada trilha pode conter diferentes tipos de insetos, que podem nos transmitir doenças. Como o filtro solar, devemos reaplicá-lo, mais ou menos de 4 em 4 horas. Não se esqueça dos cotovelos e orelhas!

                    Organizando tudo

Agora você já sabe o essencial, mas como acondicioná-los?

É importante manter os itens mais pesados próximos das costas e igualar o peso. Cuidado com itens pontudos e recipientes que deformam a mochila nas costas: sempre faça um teste com a mochila antes de sair de casa, veja o equilíbrio e o conforto.

backpacking-mcHale-2

 

Não se esqueça que ela será sua companheira por muitas horas felizes de integração com a natureza.

Tenha também a certeza de estar se aventurando com guias cadastrados, que tenham seguro viagem e seguro aventura, pois nenhuma experiência vale mais que sua vida!

Boas trilhas!